julianaohy@gmail.com • Whatsapp: 11 945232266/ 11 45861008 //  Rua Prof. Giácomo Ítria, 126, Anhangabaú - Jundiaí - SP 

Vestibular chegando...E agora?

 

Muitos alunos, nesse período ‘pré-vestibular’, mudam o humor, alguns sentem mais fome, outros não tomam nem um copo d’água, choram, se desesperam, brigam com quem podem, pensam em desistir, desistem de pensar, passam horas estudando ou horas pensando em como estudar.

 

Pensando melhor, acho que poderíamos definir aqui uma nova forma de tensão: a TPV: Tensão Pré-Vestibular, muito similar à TPM: Tensão Pré-Menstrual, porém com duração de meses, aproximadamente.

 

Quem nunca sentiu ou percebeu, nos momentos que antecedem a tão esperada prova, um aumento da taxa e da força de contração cardíaca? Ou a redução da atividade gastrointestinal? Ou até mesmo o aumento da respiração, a estimulação das glândulas sudoríparas, ou a dilatação das pupilas?

 

Em outras palavras, todo mundo já sentiu o coração disparar, uma dor na barriga repentina, respiração ofegante, como se tivesse acabado de participar de uma maratona, ou as mãos suarem frio?

“O Ministério da Saúde adverte: Vestibular causa danos à sua saúde”. Bom, se causa danos à saúde de fato, posso comentar em outro texto, porém a questão aqui é que todas essas sensações compõem a ansiedade.

 

No dicionário: “Ansiedade s.f. (lat.anxietas). Inquietação intensa e penosa; angústia”. A ansiedade ocorre em situações percebidas como estressantes, ameaçadoras ou potencialmente perigosas. Será que o vestibular pode ser considerado uma dessas situações? Não, se você souber como lidar com isso, mantendo seu equilíbrio corporal, por exemplo. A ansiedade é uma resposta de proteção que o nosso organismo encontra para atacar ou fugir de um perigo percebido, seja ele real ou não. O tão falado vestibular tem seus fantasmas, basta aos vestibulandos saberem como lidar com tais fantasmas.

 

Uma das formas de enfrentar esse “bicho de sete cabeças” é sentindo-se preparado para essa luta. Existem aí diversas maneiras de nos prepararmos, tais como: manter uma alimentação equilibrada no seu período de estudo, organizar um cronograma de estudos, não fechar os olhos para suas dificuldades, aprender a controlar o tempo e, principalmente, não deixar que a ansiedade ultrapasse seus conhecimentos e te faça titubear. As técnicas de relaxamento e redução da ansiedade induzem a atuação do sistema nervoso parassimpático e levam o organismo a um estado de conforto e bem-estar. O relaxamento é um processo de aprendizagem das respostas biológicas de relaxamento, incluindo o reconhecimento e o posterior relaxamento da tensão muscular e o controle da respiração nas situações estressantes do cotidiano.

 

Assim, em outros textos, me aprofundarei nessas técnicas, mas por enquanto entendam que mais importante do que vocês decorarem a apostila inteira é aprenderem a estudar e conhecerem seu organismo, respeitando seus limites.